Em discurso, Obama pede civilidade em Washington

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje que rezou para que os parlamentares possam restaurar o "espírito de civilidade" na capital norte-americana. Falando no anual café da manhã nacional de oração, Obama afirmou que as divisões na cidade não são algo novo, mas "há um senso de que algo está diferente agora, de que algo está rompido, de que nós em Washington não estamos servindo o povo como deveríamos".

AE-AP, Agencia Estado

04 de fevereiro de 2010 | 14h24

Obama lembrou que os líderes do país são rápidos em se unir quando há uma crise. Quando se trata de problemas de longo prazo, porém, ele notou que os congressistas podem ser absorvidos por ideologias e disputas por poder.

"Você pode questionar minhas políticas sem questionar minha fé. Nem minha cidadania", disse Obama, referindo-se aos críticos segundo os quais o presidente norte-americano não teria nascido nos Estados Unidos.

O vice-presidente, Joe Biden, a secretária de Estado, Hillary Clinton, e o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, também participaram do evento. Trata-se de uma tradição de Washington das últimas cinco décadas, que teve a participação de todos os presidentes desde Dwight Eisenhower.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABarack Obamadiscurso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.