Em discurso sobre Iraque, Obama fala sobre economia

Apesar de o discurso proferido na noite desta terça-feira por Barack Obama ter-se concentrado no fim da missão de combate das forças norte-americanas no Iraque, o presidente dos Estados Unidos afirmou que sua "tarefa mais urgente" no momento é restaurar a economia do país e fazer com que os desempregados voltem a ter trabalho.

Agência Estado

31 de agosto de 2010 | 21h45

"Para fortalecer nossa classe média, devemos dar a todas as nossas crianças a educação que elas merecem e a todos os nossos trabalhadores a capacitação necessária para que consigam competir em uma economia global", declarou Obama a partir do Salão Oval da Casa Branca.

No discurso televisionado, Obama anunciou o fim das operações de combate do exército norte-americano no Iraque sem declarar vitória. "Esta noite eu anuncio que a missão norte-americana de combate no Iraque terminou. A Operação Liberdade Iraquiana acabou e o povo iraquiano agora carrega a responsabilidade pela segurança em seu país", disse Obama.

"O fim desta guerra não é apenas do interesse do Iraque, mas também do nosso", afirmou Obama. "Chegou a hora de virar a página", prosseguiu o presidente norte-americano.

Pouco menos de 50.000 soldados norte-americanos permanecerão no Iraque a partir de agora. Desde a invasão, ordenada por George W. Bush em março de 2003 sob o pretexto de buscar armas de destruição em massa que nunca vieram a ser encontradas, mais de 4.400 soldados norte-americanos morreram no conflito. Segundo dados documentados pelo site Iraq Body Count, o conflito também tirou a vida de cerca de 100.000 civis iraquianos.

Obama também pediu aos iraquianos que formem um governo de inclusão. Apesar de as eleições gerais terem ocorrido em março, as facções políticas do Iraque ainda não conseguiram formar uma coalizão de governo.

Pela manhã, Obama telefonou para Bush para falar sobre o discurso. Porta-vozes do atual presidente e de seu antecessor não revelaram o teor da conversa. Obama e seus assessores tiveram o cuidado de não usar o termo "missão cumprida", um slogan que perseguiu Bush durante grande parte de seu governo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamadiscursoeconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.