Em Doha, projeto de Lula patina

O projeto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de aproximar Oriente Médio e América do Sul ainda patina. A Arábia Saudita quer a abertura do Mercosul para produtos petroquímicos, mas esbarra nos interesses da Venezuela no continente. Hoje, o presidente Lula desembarca em Doha para a cúpula dos países árabes e sul-americanos. Na agenda, está a tentativa de destravar as negociações para a criação do acordo de livre comércio entre as duas regiões. Segundo o rascunho da declaração final da cúpula, ao qual o ?Estado? teve acesso, os presidentes pedirão uma aceleração das negociações.A pauta começou em 2005 e, depois de um rápido avanço em vários setores, esbarrou na questão do petróleo. Em quatro anos, o comércio entre os países do Golfo Pérsico e o Mercosul registrou alta de 140%, mas, em 2007, surgiu um impasse. Os países árabes exigem tarifas mais baixas para a exportação de produtos relacionados ao petróleo. O Mercosul está disposto a negociar, mas precisa de concessões para a exportação de produtos agrícolas aos países árabes. Segundo o Itamaraty, a declaração dos presidentes representa um apoio político para concluir o acordo ainda em 2009, mas o prazo para sua conclusão não será citado no texto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.