Em dois anos, número de policiais iraquianos mortos chega a 4 mil

Por volta de 4.000 policiais iraquianos morreram e mais de 8.000 foram feridos nos últimos dois anos, relatou nesta sexta-feira o Exército dos EUA, responsável pelo treinamento da Polícia iraquiana. Contudo, ele disse que o desempenho da força estava aumentando e que as autoridades estão trabalhando para desmantelar membros da milícia.A força policial, liderada por xiitas, é acusada por sunitas de incentivar o aumento da violência sectária no país, que já matou milhares de pessoas este ano. Contudo, essa polícia tem sido o principal alvo de ataques da insurgência sunita.Líderes sunitas têm dito que milícias xiitas estão infiltradas na polícia iraquiana e, assim, fingem não ver os esquadrões de morte que seqüestram e matam seu grupo. O general Joseph Peterson disse que é difícil dizer quantos membros da milícia estão infiltrados nas forças policiais. "Não faço idéia do número", disse Peterson, falando de Bagdá, por vídeo conferência, a repórteres no Pentágono. "Certamente, se fizermos a pergunta, eles não vão responder que são ligados com qualquer milícia... É algo que continuamos procurando". Ele disse que qualquer policial iraquiano que for identificado com uma milícia ou que cometer crimes será preso, e os que têm ligações que não podem ser diretamente ligadas a um crime são liberados do serviço. Na maior iniciativa para desativar tropas ligadas a esquadrões de morte, autoridades iraquianas retiraram de serviço na quarta-feira uma brigada com cerca de 700 homens. A brigada é suspeita de permitir o seqüestro de 24 trabalhadores em um distrito de Bagdá suspeito de ser área de atuação de uma milícia xiita.Peterson disse que há muitos policiais leais ao país e que "eles pagaram um grande preço". Segundo o general, o número de policiais mortos desde setembro de 2004 no Iraque está em 4.000. Outros 8.000 teriam ficado feridos. Até agora, 186 mil policiais foram treinados, e autoridades esperam exceder a meta de 188 mil até o final do ano, disse ele. Atualmente, há 6 mil soldados das forças de coalizão - encabeçadas pelos EUA - incorporados a unidades policiais como times de treinamento, e Peterson disse que os iraquianos estão melhorando. Violência sectáriaEm uma parte predominantemente xiita ao leste de Bagdá, a polícia descobriu os corpos de cinco homens, aparentemente vitimas de esquadrões de morte sectários - as mãos e os pés das vítimas sinalizavam tortura. Um toque de recolher e uma proibição de veículos foram impostos em Bagdá durante a maior parte desta sexta-feira - uma providência para evitar ataques contra pessoas que foram a mesquitas para rezar. Os muçulmanos estão no meio de comemorações do mês sagrado do Ramadã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.