Em encontro no Egito, Abbas apela por cessar-fogo

Após se reunir com autoridades egípcias no Cairo, o presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmud Abbas, afirmou ontem que seu principal objetivo é deter a ofensiva israelense na Faixa de Gaza. Segundo ele, Israel e o grupo islâmico Hamas devem concordar imediatamente com um cessar-fogo. "Se Israel não aceitar, será responsável por perpetuar um banho de sangue", afirmou Abbas, que se encontrou com o presidente egípcio, Hosni Mubarak. "A situação não permite que se perca mais tempo."O líder palestino disse esperar que o Hamas, que controla o território e é inimigo político da AP, seja capaz de alcançar um acordo para pôr fim à guerra "sem hesitação". Autoridades do Hamas de Gaza e da Síria também estão no Cairo para conversas separadas com oficiais egípcios. Na quinta-feira, dois representantes de Israel estiveram no país para participar das negociações.A Alemanha anunciou ontem que também pretende entrar nas negociações, com uma proposta de enviar forças militares para treinar guardas nas regiões fronteiriças. "Nos próximos dias, um grupo da Alemanha irá ao Egito para verificar como podemos equipar forças policiais e fornecer treinamento", disse o chanceler alemão, Frank-Walter Steinmeier. Com isso, espera-se resolver a questão da segurança nas fronteiras de Gaza, impedindo que o Hamas consiga transportar armas pela região, uma das principais condições de Israel para aceitar o cessar-fogo proposto por Egito e França na semana passada. O documento propõe que tropas estrangeiras permaneçam num raio de 15 quilômetros da fronteira para combater o contrabando de armas. No entanto, em resposta aos apelos de Abbas, grupos palestinos sediados na Síria rejeitaram a possibilidade de observadores ou tropas internacionais em Gaza. Num comunicado oficial, informaram não aceitar nenhum acordo de segurança que limite o direito de resistência à ocupação israelense. Eles ainda pediram a suspensão imediata dos ataques e a saída das tropas israelenses do território.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.