Frederic J. Brown/AFP
Frederic J. Brown/AFP

Em entrevista, dois pré-candidatos democratas não conseguem dizer quem é o presidente do México

Os candidatos foram entrevistados quando participaram na quinta-feira de um fórum no Estado de Nevada, que em 22 de fevereiro realizará o caucus para a indicação e onde 30% da população é latina

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2020 | 19h32

WASHINGTON - Amy Klobuchar e Tom Steyer, dois dos pré-candidatos do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos não conseguiram dizer quem é o presidente do México, em entrevista à rede Telemundo, na qual apenas Pete Buttigieg respondeu hesitantemente o nome de Andrés Manuel López Obrador.

Os três candidatos foram entrevistados quando participaram na quinta-feira de um fórum no Estado de Nevada, que em 22 de fevereiro realizará o caucus para a indicação e onde 30% da população é latina.

Ao ser perguntado se sabia quem é o presidente do México, Buttigieg - ex-prefeito da pequena cidade de South Bend - respondeu: "Sim, presidente López Obrador, espero".

Buttigieg deixou de ser um desconhecido da política nacional nos Estados Unidos e se tornou um dos fortes candidatos na corrida democrata, após ser o segundo na primária de New Hampshire e liderar o evento seguinte realizado em Iowa por uma margem estreita. 

A senadora do Minnesota, Amy Klobuchar, que ficou em terceiro lugar em New Hampshire, disse que sabia quem é o presidente, mas não sabia o nome dele.

Para Entender

Como funciona a escolha do presidente dos EUA

No dia 3 de novembro de 2020, 224 milhões de eleitores americanos irão às urnas e darão seu veredicto sobre a presidência de Donald Trump; veja o que mais está em jogo

Steyer - um milionário que ficou em sexto lugar em New Hampshire, mas é o quarto nas pesquisas em Nevada - não conseguiu lembrar o nome do presidente do país vizinho.

Ambos países compartilham uma fronteira de 3.200 quilômetros e mantêm uma estreita relação comercial que está no centro da política de Donald Trump, com a renegociação do Acordo de Livre Comércio da América do Norte e por suas intenções de construir um muro na fronteira./AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.