Em fita de áudio chefe da Al-Qaeda assume atentado em Khobar

Em uma fita de áudio divulgada na internet, um homem que se identificou como chefe da rede extremista Al-Qaeda na Península Arábica assumiu hoje a responsabilidade pelo seqüestro e morte de estrangeiros em Khobar, na Arábia Saudita. A gravação e um texto foram colocados numa página da internet conhecida por ser ligada a radicais islâmicos. O orador, que se apresentou como Abdulaziz Issa Abdul Mohsin al-Moqrin, descreveu o "assassinato" de reféns em Khobar e mencionou entre as vítimas um italiano, um americano, um japonês e um britânico (o balanço do governo não menciona japoneses). Ele disse que o corpo de um americano foi arrastado pelas ruas - fato não confirmado no noticiário sobre o ataque. Al-Moqrin demonstrou desprezo pelos "infiéis" (os não-muçulmanos) e acusou o governo saudita de entregar o país para os americanos e "prover os Estados Unidos com petróleo a baixo preço, conforme o desejo de seus mestres, para que a economia deles não entre em colapso". Ele disse ainda que a batalha com o governo saudita continuará até que "os cruzados sejam expulsos da terra do Islã". O comunicado expressa satisfação pela morte ou ferimentos em "um bom número de cruzados, inimigos de Deus". A autenticidade da fita não pôde ser verificada, mas a voz se parece com a de outras gravações atribuídas a Al-Moqrin, segundo fontes ouvidas pela The Associated Press. Autoridades de segurança sauditas e americanas acreditam que ele seja o chefe da Al-Qaeda na Arábia Saudita e tenha planejado um outro ataque contra um complexo residencial de estrangeiros em Riad, em novembro, no qual foram mortas 17 pessoas, na maioria árabes e muçulmanos de outros países trabalhando na Arábia Saudita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.