Em Hanói, Bush pede imposição de sanções à Coréia do Norte

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, clamou nesta sexta-feira pela implementação total das sanções adotadas pelo Conselho de Segurança da ONU contra a Coréia do Norte. As declarações foram feitas na chegada do presidente ao fórum econômico de países do Pacífico, que deve ser dominado pelas pressões para que o regime comunista abandone seu programa nuclear. Bush, que nesta sexta-feira tornou-se o segundo presidente americano a visitar o Vietnã desde a guerra, e outros líderes do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC), focaram as discussões em torno dos diálogos sobre o programa nuclear da Coréia do Norte. "Temos a chance de resolver esse problema de maneira pacífica e diplomática", afirmou Bush, se referindo às negociações dos EUA, Coréia do Sul, China, Japão e Rússia com a Coréia do Norte sobre a questão. "Para o mundo é importante ver que as resoluções do Conselho de Segurança vão ser implementadas", ressaltou. Os líderes vão participar de diálogos bilaterais no sábado, quando devem discutir as questões relacionadas ao programa nuclear da Coréia do Norte, mas também vão falar da guerra no Iraque, terrorismo e o desenvolvimento do programa nuclear no Irã. Até o fim desta semana, economistas e ministros do exterior que participam das reuniões da APEC discutiram as relações econômicas mundiais, a proposta dos Estados Unidos de formar um novo bloco de livre comércio e debateram temas como a segurança energética e as mudanças climáticas. Nesta sexta-feira, empresários alertaram o Vietnã sobre a necessidade de o país adotar reformas econômicas e entrar no sistema mundial de negócios, quando o governo de Hanói mostrou a capacidade de aumentar suas exportações. Somente nesta semana o governo do Vietnã assinou três tratados com empresas norte-americanas, totalizando contratos de U$1,64 bilhões.

Agencia Estado,

17 Novembro 2006 | 18h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.