Em Honduras, vai a 23 número de mortos pelas chuvas

O número de mortos pelas fortes chuvas em Honduras subiu para 23 hoje. Outras oito pessoas estão desaparecidas e 192.506 foram prejudicadas pelos temporais, segundo levantamentos iniciais das autoridades. O presidente Manuel Zelaya disse que o país está "semiparalisado". "Os pobres que sofrem mais", apontou Zelaya. "Até agora retiramos de suas casas 19.436 hondurenhos, que estão em abrigos estatais", disse o chefe de operações da Comissão Permanente de Contingências, Randolfo Fúnez. Ainda segundo o funcionário, há previsão de que chegue mais chuvas ao país, piorando a situação. Há também perto de 150 mil pessoas sem eletricidade no país. Os temporais, que começaram há nove dias, também causaram prejuízos em países da região, como Costa Rica, Nicarágua e Guatemala. El Salvador também foi atingido, mas com menor intensidade. Os efeitos das chuvas são considerados em Honduras os piores desde o furacão Mitch, que em outubro de 1998 devastou o país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.