Em Israel, McCain conversa com líderes palestinos israelenses

Líderes israelenses e palestinosconversaram na quarta-feira com o candidato do PartidoRepublicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, arespeito da possibilidade de ser selado um acordo de paz antesde o presidente norte-americano, George W. Bush, concluir seumandato. "Acho, mais uma vez, que o presidente Abbas (Mahmoud Abbas,presidente palestino) deseja dar início a esse processo (depaz)", afirmou McCain em Jerusalém após conversar por telefonecom Abbas, que tem como base de trabalho Ramallah, naCisjordânia ocupada. Abbas suspendeu as negociações com Israel por um breveperíodo de tempo depois de os israelenses terem lançado, trêssemanas atrás, uma grande operação militar na Faixa de Gazaresponsável por matar mais de 120 palestinos, cerca de metadesdeles civis. Israel argumenta que a investida tinha por meta coibir olançamento de foguetes por militantes palestinos contra seuterritório. Em declarações dadas a repórteres após conversar comMcCain, Abbas afirmou não haver alternativa senão negociar comIsrael, mas observou que a expansão dos assentamentos judaicose as operações israelenses na Faixa de Gaza e na Cisjordâniadificultavam o processo. "Portanto, nós e todos os envolvidos precisamos nosconscientizar de que há pouco tempo de sobra, o que significaque temos de obter resultados com essas negociações até o finaldo ano", afirmou Abbas. McCain se reuniu com o primeiro-ministro de Israel, EhudOlmert, e com a ministra israelense das Relações Exteriores,Tzipi Livni. Ele disse compartilhar das preocupações do Estadojudaico com o lançamento de foguetes desde a Faixa de Gaza, umterritório controlado pelo grupo islâmico Hamas. "Acredito que ele (Abbas) não concorda com o tipo deatividade que ocorre na Faixa de Gaza. Sei que o governo dosEUA está totalmente comprometido com os esforços para pôr umfim nisso, aos atos de violência através da fronteira", afirmouMcCain a repórteres. Olmert descreveu a situação como "muito complexa" e afirmouao candidato republicano: "Estamos otimistas com asnegociações, apesar das notícias que se lêem ocasionalmente." McCain visitou Israel em meio ao que descreveu como umaviagem de averiguação dos fatos pelo Oriente Médio. Ex-piloto e ex-prisioneiro de guerra, McCain, de 71 anos,negou estar tentando, com a viagem, melhorar sua imagem decandidato. Ele afirmou que participou da visita na condição demembro da Comissão dos Serviços Armados do Senado e não comoeventual sucessor de Bush. (Reportagem adicional de Ari Rabinovitch, em Jerusalém, eWafa Amr, em Ramallah)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.