AFP
AFP

Em julgamento, Breivik diz que visou também palácio real

Norueguês cometeu duplo atentado, que deixou 77 pessoas em julho do ano passado

AE, Agência Estado

19 de abril de 2012 | 09h15

OSLO - No quarto dia de seu julgamento, o ultradireitista Anders Behring Breivik, autor confesso dos atentados que mataram 77 pessoas na Noruega no ano passado, afirmou nesta quinta-feira, 19, que, além das instalações do governo norueguês em Oslo, seu plano original era atacar também o escritório do Partido Trabalhista e um terceiro alvo, possivelmente o palácio real.

Veja também:

link 'Eu faria tudo de novo', diz atirador norueguês em julgamento

linkAtirador norueguês se queixa de ser ridicularizado em julgamento

Em 22 de julho, Breivik lançou um duplo atentado, primeiro com um carro-bomba no complexo governamental da capital norueguesa, que deixou oito mortos, e depois ao assassinar 69 pessoas que participavam de um acampamento, na ilha de Utoya.

Ao ser questionado pelos promotores, Breivik disse que sua ideia inicial era explodir três diferentes alvos, que incluiriam o palácio real. Segundo ele, o possível atentado no palácio seria feito de maneira a não ferir os membros da família real. "A maioria dos nacionalistas e conservadores culturais é simpatizante da monarquia, incluindo eu mesmo", afirmou.

Os três atentados à bomba seriam seguidos por uma série de tiroteios, relatou Breivik, que acabou desistindo das explosões múltiplas porque a construção de uma única bomba acabou sendo "muito mais difícil" do que ele imaginava.

A expectativa é que o julgamento de Breivik, iniciado na segunda-feira, se estenda por dez semanas.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.