TANNEN MAURY/EFE-28/10/2010
TANNEN MAURY/EFE-28/10/2010

Em Las Vegas, desemprego estimula Tea Party

Altos índices de desocupação em Nevada ameaçam reeleição do cacique democrata, Harry Reid, há 23 anos no Senado

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2010 | 00h00

Devastador para a campanha democrata nas eleições do dia 2, o desemprego promete fazer um estrago ainda maior em Nevada, Estado onde a taxa de desocupação alcança 14,4% - quase 5 pontos acima da média nacional. Nessa região do oeste dos EUA, Sharron Angel, da ala radical da direita republicana, o Tea Party, ameaça a reeleição do senador democrata Harry Reid, político veterano que concorre por seu quinto mandato.

Sharron tem ligeira vantagem - ela tem 49% das intenções de voto, e Reid, 45% -, segundo a média das pesquisas eleitorais calculada pelo instituto Real Clear Politics. Mais certa é a vitória do ex-promotor de Justiça Brian Sandoval, candidato do Partido Republicano ao governo estadual.

Sandoval tem 54,5% das intenções de voto e deverá se tornar o primeiro governador de origem hispânica de Nevada, assumindo um Estado marcado pela "maldição do turismo".

A atividade movimentou cassinos e a construção civil nas últimas duas décadas e respondia por mais de 80% da economia local. Mas, desde a crise de 2008, está praticamente parada.

Tanto analistas quanto políticos locais sabem que a taxa de desemprego oficial de Nevada, de 14,4%, não reflete a realidade do que está ocorrendo no mercado de trabalho do Estado.

De acordo com o Departamento do Trabalho dos EUA, se incluídos os que deixaram de buscar emprego há mais de três meses - o chamado desalento -, a taxa subiria para 21,5%. Mas ambos os porcentuais não consideram a ampla presença de imigrantes ilegais no mercado de trabalho local.

Atraídos pelo boom na construção de complexos turísticos e residenciais no começo da década, especialmente em Las Vegas, os imigrantes sem documentação foram as primeiras vítimas da crise de 2008.

Todos os dias às 6 horas um grupo de imigrantes ilegais posiciona-se no estacionamento de hipermercados de material de construção, no sul da cidade. Ali, eles esperam ser chamados para fazer um bico.

"Ainda que eu tenha documentos, não há trabalho. Fala-se muito na construção de uma estrada de ferro, de geração de energia solar, de rodovias. Mas isso será para quem tem documentos", afirmou o mexicano Napoleón Marín, motorista de ônibus aposentado que se mudou há dois anos para Las Vegas.

"Há oito anos, a cidade era muito menor. Sentimos que os EUA precisam de nós porque nenhum americano quer fazer o trabalho duro", afirmou o também mexicano Ludvin Maldonado, imigrante ilegal e sem emprego há mais de um ano.

Cobrança eleitoral. Ao abordarem a questão eleitoral mais delicada desta campanha, Sharron Angel e Harry Reid mostram que seus estilos e percepções são completamente opostos. Sharron vem apelando, em propagandas e discursos, para o "roubo" dos empregos disponíveis pelos imigrantes ilegais, sobretudo mexicanos e centro-americanos.

Em sintonia com a mensagem do Tea Party, ela argumenta que a expansão do governo federal e sua maior interferência na economia são fatores que não favorecem a criação de postos de trabalho.

No entanto, questionada recentemente pela imprensa sobre como atuaria para responder a esse desafio, declarou que "criar emprego não é dever de um senador". Mas, em seus discursos durante a campanha eleitoral, Sharron Angel não deixou de fazer essa mesma cobrança a Reid.

Diversificação. O senador democrata Harry Reid, político veterano que compete pelo seu quinto mandato, corre para recuperar Nevada do atraso em sua agenda de diversificação econômica. Durante seus 23 anos no Senado, acompanhou e estimulou o crescimento das indústrias do turismo, do jogo e da construção civil. Com a crise de 2008, passou a sustentar a bandeira da diversificação da economia do Estado.

Ancorado no pacote da Casa Branca de estímulo a obras de infraestrutura, Reid conseguiu aprovar um projeto de construção de uma linha de transmissão de energia elétrica entre o norte e o sul do Estado.

Segundo José Parra, porta-voz de Reid, o objetivo do senador é atrair investimentos de geradores de energia solar e eólica para o Estado.

De acordo com o Departamento de Emprego, Treinamento e Reabilitação de Nevada, a taxa de desemprego continuará alta no Estado até 2013. David Damore, professor de Ciências Políticas da Universidade de Nevada-Las Vegas, tem uma perspectiva mais otimista.

Para ele, a diversificação da atividade econômica de Nevada realmente custará tempo e dinheiro. A taxa de desocupação, porém, deverá cair em razão do êxodo de parte da população local para o Texas, onde a economia está mais acelerada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.