Efe
Efe

Em meio à alta da inflação, Maduro aumenta salário mínimo em 30%

Nos três primeiros meses do ano, preços no país já subiram 10%, segundo Banco Central da Venezuela

O Estado de S. Paulo,

30 de abril de 2014 | 08h46

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na terça-feira, 29, um aumento de 30% no salário mínimo e nas pensões. O novo valor é de 4.251,78 bolívares, o equivalente a  R$ 1.500 pelo defasado câmbio oficial do país.

"Por causa do Primeiro de Maio decidi dar um aumento no salário mínimo nacional e nas pensões para elevá-los aos níveis de defesa necessário para a vida nosso povo", disse Maduro durante um encontro com trabalhadores no Palácio de Miraflores, sede do governo em Caracas.

Maduro lembrou que seu governo já havia decretado um aumento de 10% em janeiro como uma forma de compensar o alto índice inflacionário de 2013, que foi de 56,2%.

Para o líder opositor e ex-candidato presidencial Henrique Capriles o ajuste salarial é insuficiente porque uma melhora deveria estar acima da inflação.

"É um aumento de salário incompleto, consequência também do fracasso do modelo castro-comunista que insiste em aplicar", escreveu o opositor na rede social Twitter.

O Banco Central da Venezuela revelou na semana passada que a inflação em março foi de 4,1%, o que situa em 10,1% o acumulado de janeiro a março de 2014. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaNicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.