Em meio a criticas, Cameron mantém austeridade fiscal

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, e o chefe do Tesouro, George Osborne, foram vaiados durante um evento dos Jogos Paralímpicos de Londres na noite de segunda-feira (horário local). Foi uma rara demonstração de hostilidade dos britânicos contra as políticas de austeridade fiscal defendidas pelos dois.

AE, Agência Estado

04 de setembro de 2012 | 16h34

O descontentamento com o programa de redução de empregos públicos e cortes de benefícios sociais está aumentando entre os britânicos. As medidas estão em vigor há quatro anos e Osborne já admitiu que terão de ser prorrogadas por mais dois anos.

Procurando reconquistar o apoio dos eleitores, já de olho nas eleições de 2015, Cameron fez nesta terça-feira a maior reforma ministerial desde que chegou ao cargo, em 2010.

Osborne foi mantido no cargo apesar das críticas, sinal de que o Reino Unido vai continuar com seu programa de austeridade. Foram trocados os ministros da Cultura, Transportes, Saúde e Justiça, além de muitos outros cargos da administração do país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unidopolíticaeconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.