Reuters
Reuters

Em meio a especulações sobre sua saúde, Kim visita fábrica

Após TV dizer que norte-coreano tem câncer no pâncreas, imprensa anuncia agenda de visitas do ditador

Efe,

14 de julho de 2009 | 09h59

 O líder norte-coreano Kim Jong-il visitou uma nova fábrica construída em Pyongyang em meio a novas especulações sobre seu estado de saúde, segundo a agência estatal norte-coreana KCNA, citada nesta terça-feira, 14, agência sul-coreana Yonhap. Um dia após uma emissora de TV de Seul afirmar que o ditador teria câncer no pâncreas, a imprensa de Pyongyang disse que Kim manterá uma apertada agenda de visitas por todo o país.

 

Segundo a KCNA, Kim visitou a fábrica de azulejos de Taedonggang, onde passeou pelas instalações e manifestou uma "grande satisfação" pelo fato de os "soldados construtores" terem erguido uma instalação tão moderna. Durante a visita, Kim foi acompanhado por Kim Ki-nam, secretário do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores norte-coreano e por vários membros da cúpula militar do país, como os generais Hyon Chol-hae e Ri Myong-su.

 

A notícia sobre a visita de Kim à fábrica coincidiu com a informação divulgada na segunda-feira pela rede de televisão sul-coreana YTN de que o líder norte-coreano está com câncer de pâncreas, segundo fontes de espionagem da Coreia do Sul e da China. Segundo o veículo sul-coreano, Kim, de 67 anos, foi diagnosticado com câncer de pâncreas perto de agosto do ano passado. Na mesma época, de acordo com os serviços de Inteligência americanos e sul-coreanos, o líder teria sofrido um derrame cerebral. No entanto, os governos de Coreia do Sul e Estados Unidos disseram que não têm informações sobre este suposto câncer.

 

Sequência mostra imagens de Kim entre 2004 e 2009. Fotos: Reuters

 

Na quarta-feira, o líder norte-coreano compareceu aos atos organizados por ocasião do 15º aniversário do falecimento de seu pai e fundador do país comunista, Kim Il-sung, no qual Kim Jong-il aparentava estar mais magro e com menos cabelo. Em meio aos comentários sobre a fraqueza de seu estado de saúde, o líder comunista realizou um total de 82 aparições públicas neste ano, frente a 57 realizadas em 2008, segundo a agência sul-coreana Yonhap.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteCoreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.