Em meio a protestos, chefe militar diz que apoia Correa

O comandante do Exército do Equador, general Ernesto González, afirmou nesta quinta-feira que apoia o presidente Rafael Correa. A declaração foi feita no dia em que vários protestos liderados por policiais acontecem pelo país, contra uma nova lei que deve afetar os rendimentos das forças de segurança. Em meio aos protestos, que também têm militares entre os manifestantes, policiais tomaram o controle do aeroporto de Quito.

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 13h51

"Nós vivemos em um Estado que é governado por leis, e nós nos subordinamos à autoridade mais alta, que é o presidente da República", afirmou González em entrevista à imprensa. "Nós tomaremos qualquer ação apropriada que o governo decidir", acrescentou o general. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.