Carabinieri/Handout via Reuters
Carabinieri/Handout via Reuters

Em meio à quarentena, ponte cai na Itália e deixa apenas dois levemente feridos

Em 2018, o colapso de uma ponte de rodovia na cidade portuária de Gênova matou 43 pessoas

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2020 | 15h25

MILÃO - Uma ponte em uma estrada normalmente movimentada na Província de Massa-Carrara, norte da Itália, desabou nesta quarta-feira,  8, mas com praticamente nenhum tráfego durante a quarentena do coronavírus, apenas dois motoristas de caminhão sofreram ferimentos leves. 

Um porta-voz da brigada de incêndio local disse que a ponte de 260 metros na estrada SS330, perto da cidade de Aulla, no meio do caminho entre Gênova e Florença, no extremo norte da Toscana, desabou às 10h25 (hora local, 5h25 de Brasília).  

Embora as vítimas tenham sido limitadas, o incidente destacou mais uma vez o mau estado da rede rodoviária da Itália. Em 2018, o colapso de uma ponte de rodovia na cidade portuária de Gênova matou 43 pessoas.

As imagens feitas por cinegrafistas em helicóptero da área do acidente mostraram seções da ponte que cruzavam o Rio Magra caídas na água, com um trecho de estrada atrás dela.

O isolamento imposto para conter a disseminação do coronavírus reduziu o movimento muito intenso de tráfego que normalmente poderia estar passando pela ponte e apenas dois veículos acabaram envolvidos no incidente. Os dois motoristas foram levados para o hospital com ferimentos leves, disse um porta-voz dos bombeiros.

A ponte era administrada anteriormente pelas autoridades provinciais e, em seguida, foi colocada sob a administração da Anas, uma empresa controlada pelo grupo ferroviário estatal Ferrovie dello Stato. A ministra dos Transportes, Paola De Micheli, disse que a Anas opera a ponte desde 2018 e disse que solicitou um relatório detalhado ao grupo.

A má manutenção das estradas e pontes da Itália e a má administração de sua rede de rodovias têm sido uma questão política importante desde a queda da ponte em Gênova, que era operada pelo grupo de infraestrutura Atlantia.

A estrada afetada pelo incidente de quarta-feira foi reparada após o mau tempo de novembro. A Anas disse em comunicado que não havia trabalho em andamento no momento do desastre de quarta-feira. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.