Reuters
Reuters

Em meio a tensão com Rússia, Otan aumentará presença no leste da Ucrânia

Vocês verão destacamentos no mar, no ar e na terra imediatamente, diz secretário-geral

O Estado de S. Paulo,

16 de abril de 2014 | 08h40

BRUXELAS - O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, disse nesta quarta-feira que vai fortalecer a presença militar ao longo da região leste da Ucrânia. O movimento, segundo Rasmussen, é uma resposta à influência russa no leste do país

"Vocês verão destacamentos no mar, no ar e na terra imediatamente, isso quer dizer em alguns dias", disse o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, em entrevista coletiva depois que a decisão foi tomada por embaixadores da Otan.

Aviões de combate da Otan vão realizar mais voos sobre a região báltica, navios aliados serão mobilizados no mar Báltico, no leste do Mediterrâneo e em outros pontos, e militares aliados serão enviados para melhorar a prontidão, treinamentos e exercícios da Otan, segundo Rasmussen.

Em Kiev, O primeiro-ministro ucraniano, Arseny Yatseniuk, acusou a Rússia de "exportar terrorismo" para a Ucrânia ao utilizar forças disfarçadas para organizar os separatistas armados que, segundo ele, atacaram tropas ucranianas e ocuparam prédios do governo.

"O governo russo deve encerrar imediatamente seus grupos de inteligência, condenar os terroristas e exigir que eles libertem os prédios", disse o premiê em reunião do governo.

"Isso é, se a Federação Russa estiver interessada na estabilização da situação, o que eu tenho dúvidas significativas", acrescentou.

 

Tudo o que sabemos sobre:
OtanRússiaDonetskUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.