REUTERS/David Mercado
REUTERS/David Mercado

Em missa na Bolívia, papa Francisco critica lógica do descarte

Líder da Igreja Católica também ressaltou as injustiças e os sofrimentos das mulheres na sociedade e disse que riqueza se mede pelo que 'os idosos ensinam aos jovens'

Luciana Nunes Leal, Enviada Especial / Santa Cruz de la Sierra, O Estado de S. Paulo

09 de julho de 2015 | 13h56

SANTA CRUZ DE LA SIERRA - Em homilia na primeira missa rezada na Bolívia, o papa Francisco condenou nesta quinta-feira, 9, o consumismo e a mercantilização do mundo e falou em defesa "dos que não produzem". "Frente a tanta situação de fome no mundo, o desespero termina ganhando nosso coração. Um coração desesperado é fácil chegar à lógica que transforma tudo em objeto de troca, de consumo, de negocio", afirmou o pontífice.

O papa começou o sermão dirigindo-se às mulheres, ressaltando que elas levam nos ombros os filhos e também "as injustiças e o sofrimento". Ao refletir sobre a leitura de hoje sobre o milagre dos pães e peixes, Francisco lembrou que Jesus convidou os discípulos a dar de comer aos que tinham fome. "Jesus transforma a lógica do descarte em lógica de comunhão", comparou. O líder da Igreja Católica rejeitou os bens materiais como medida de prosperidade. "Peço uma lógica de comunidade. A riqueza se mede na vida de sua gente, dos idosos, que ensinam aos jovens."

Francisco também insistiu na importância de transformar a mensagem em gestos. "Só na entrega e no dividir se encontra a alegria. Jesus quer que participemos", conclamou.  O papa reza missa para publico estimado em dois milhões de pessoas na praça do Cristo Redentor,  no centro de Santa Cruz de la Sierra.

Durante a homilia, o papa também pediu pela valorização do bem e da vida. / COM EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Bolíviapapa Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.