Em Moscou, novo líder chinês adverte contra intromissões externas

O presidente chinês, Xi Jinping, advertiu contra interferências externas nos assuntos de outras nações durante discurso neste sábado em Moscou, enviando um sinal ao Ocidente e reforçando a mensagem habitualmente defendida por seu colega russo, Vladimir Putin.

Reuters

23 de março de 2013 | 12h48

Membros permanentes com poder de veto no Conselho de Segurança das Nações Unidas, Rússia e China têm se unido diplomaticamente para conter a influência dos Estados Unidos e seus aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e obstruíram três esboços de resolução sobre a Síria.

"Precisamos respeitar o direito de cada país no mundo de escolher de forma independente seu caminho de desenvolvimento e se opor a interferência nos assuntos internos de outros países", afirmou Xi a estudantes em uma escola de relações internacionais.

As declarações do presidente chinês foram feitas um dia após reunião com Putin em sua primeira viagem internacional desde que assumiu o cargo, algo que ambos afirmaram destacar uma "parceria estratégica" entre Moscou e Pequim.

(Reportagem de Vladimir Soldatkin; reportagem adicional de Megan Davies)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINARUSSIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.