Alexander Zemlianichenko / AP
Alexander Zemlianichenko / AP

Em nota, governo brasileiro lembra Dia do Holocausto

Texto divulgado pelo Itamaraty menciona nomes de brasileiros que ajudaram a salvar vidas naquele "triste" momento da história e pede fim de todas as formas de discriminação

O Estado de S. Paulo

27 de janeiro de 2015 | 15h38

SÃO PAULO - Em uma nota divulgada nesta terça-feira, 27, pelo Ministério das Relações Exteriores, o governo brasileiro lembrou os 70 anos da libertação do campo de extermínio de Auschwitz, na Polônia, como o "mais atroz símbolo do Holocausto".   

No texto, o governo ressalta que em momento de manifestações crescentes de antissemitismo, islamofobia, xenofobia e outras formas de intolerância pelo mundo, o compromisso de cada país e o contínuo aprimoramento dos instrumentos de proteção dos direitos humanos são fundamentais para assegurar o fim de todas as formas de discriminação. "Tarefa na qual o governo da presidente Dilma Rousseff está firmemente empenhado", diz. 


A nota divulgada pelo Itamaraty homenageia os brasileiros que salvaram vidas humanas naquele "triste" momento da história. O texto lembrou os nomes dos brasileiros Luiz Martins de Souza Dantas e Aracy de Carvalho Guimarães Rosa que estão gravados no Jardim dos Justos entre as Nações, no Museu do Holocausto, em Israel. 

"Recordar e honrar as vítimas da Shoá não é apenas um dever moral iniludível. É também uma arma poderosa na luta, que deve ser de todos, contra o ressurgimento das condições que deram origem ao Holocausto, naquele que foi um dos períodos mais sombrios da história da humanidade." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.