Em nova charge, 'Charlie Hebdo' decapita Theresa May

Na mesma edição, ainda há outra charge polêmica, que retrata diversas pessoas correndo, uma delas segurando um copo de cerveja, perto do Big Ben, uma referência aos recentes atentados terroristas em Londres no sábado

O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2017 | 15h24

PARIS - O jornal satírico francês Charlie Hebdo publicou na capa de sua última edição uma ilustração da primeira-ministra britânica, Theresa May, decapitada e segurando a cabeça debaixo do braço.       

A capa da publicação foi divulgada na edição de quarta-feira, 7, e traz a frase "Multiculturalismo inglês". Na imagem, o Charlie Hebdo "ridiculariza" a declaração da premiê após o ataque na ponte de Londres, ocorrido no último sábado. Na ocasião, ela disse que "já basta" de terrorismo.       

Na mesma edição, ainda há outra charge polêmica, que retrata diversas pessoas correndo, uma delas segurando um copo de cerveja, perto do Big Ben, uma referência aos recentes atentados terroristas em Londres, reivindicado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI). A ilustração é acompanhada da legenda "dicas de emagrecimento do Daesh (acrônimo em árabe para EI). 

Esta não são as primeiras sátiras polêmicas da publicação. No ano passado, o Charlie Hebdo publicou uma imagem retratando as vítimas da sequência de terremotos na Itália, que deixaram centenas de mortos, como pratos de massas.

No desenho, um homem ferido aparecia como macarrão ao molho de tomate. Uma mulher queimada, como penne gratinado. Corpos esmagados por destroços eram identificados na legenda como uma lasanha.       

Em 2015, a redação do semanário foi atacada por extremistas após um cartum ridicularizar o profeta Maomé. Doze pessoas morreram. / Ansa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.