The White House/Handout via Reuters
The White House/Handout via Reuters

Em novo vídeo, Trump diz que contrair covid foi uma 'benção de Deus' 

Presidente diz que se sente muito bem e afirma que uma vacina para o vírus deve estar disponível 'logo depois da eleição'

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2020 | 20h05

WASHINGTON - O presidente americano, Donald Trump, depois de voltar a despachar do Salão Oval apesar de ainda não ter se curado da covid-19, disse em um vídeo gravado nos jardins da Casa Branca que foi uma "benção de Deus" ele ter contraído o coronavírus. Ele afirmou que isso o ajudará a "curar" outros americanos. 

Seis dias depois de testar positivo para o coronavírus e menos de 48 horas depois de receber alta do hospital, Trump voltou à Ala Oeste, um apêndice da residência presidencial onde fica o Salão Oval e onde ao menos nove empregados da Casa Branca foram infectados. 

"Olá, talvez você me reconheça, sou o seu presidente favorito", diz Trump no início do vídeo, afirmando que se sentia muito bem e que uma vacina para o vírus deve estar disponível "logo depois da eleição". O presidente também voltou a fazer acusações contra a China por sua suposta responsabilidade na pandemia. "A China pagará um grande preço pelo que fez ao nosso país e ao mundo", ameaçou, sem dar detalhes sobre eventuais retaliações.

Sem usar máscara na publicação, Trump elogiou muito os medicamentos que recebeu no hospital há alguns dias, como o Regeneron. Ele disse que planeja disponibilizar esses medicamentos para todos os americanos. 

Trump afirmou que, para ele, as terapias são muito mais importantes do que a vacina, mas invocou seu papel para acelerar o processo de pesquisa e aprovação do imunizante, lembrando que há várias vacinas em etapas finais de testes.

Em sua fala, Trump disse que a vacina até poderia estar pronta antes da eleição, mas afirmou que "a política se envolve" e atrasa um pouco o processo. Ele não explicou o que causaria esse atraso./EFE e AP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.