Abd Zakout / AFP
Abd Zakout / AFP

Em operação secreta apoiada por bombardeios em Gaza, Israel mata comandante do Hamas

Incursão e ataque aéreo desencadearam uma resposta do enclave controlado pelo grupo Hamas, que lançou foguetes em direção a Israel, acionando sirenes e colocando as comunidades na fronteira em alerta; seis palestinos e um israelense foram mortos

O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2018 | 21h07
Atualizado 12 Novembro 2018 | 12h55

GAZA - Forças israelenses mataram ao menos seis palestinos na Faixa de Gaza neste domingo, 11, em um ataque secreto por terra que tinha como alvo Nour al Din Muhamad Salama Baraka, comandante das Brigadas do Ezedin al-Qassam, o braço armado do Hamas, que foi morto. A operação teve cobertura da Força Aérea israelense, que lançou bombardeios para permitir que os soldados israelenses conseguissem voltar para Israel em um carro civil, informou o Hamas, em um comunicado.  Um militar israelense morreu.

A incursão israelense e o ataque aéreo desencadearam uma resposta do enclave controlado pelo grupo Hamas, que lançou foguetes em direção a Israel, acionando sirenes e colocando as comunidades israelenses na fronteira em alerta. Militares disseram que suas defesas interceptaram dois lançamentos. Não havia informações sobre danos ou vítimas no lado israelense da fronteira. 

A violência deste domingo fez o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, antecipar sua volta de Paris, onde assistia às celebrações do centenário do armistício da 1ª Guerra ao lado de líderes mundiais

O Hamas informou que o incidente no território ocorreu quando israelenses em um carro de passeio abriram fogo contra um grupo de homens armados, matando um de seus comandantes. Membros do Hamas saíram em perseguição contra o carro, que acelerou e cruzou de volta a fronteira com Israel, informou o grupo palestino em um comunicado. 

Durante a perseguição, caças israelenses dispararam mais de 40 mísseis na área, segundo testemunhas. Médicos e membros do Hamas disseram que ao menos seis pessoas morreram, incluindo um comandante, Nour Baraka, e outros membros do grupo. Não estava claro se entre os mortos estavam os homens armados. 

"Durante a operação ativa das Forças de Defesa de Israel (IDF) na Faixa de Gaza, houve fogo cruzado envolvido", afirmou um o primeiro comunicado das forças israelenses, sem mais detalhes. Mais tarde, outro comunicado informou que um dos militares israelenses foi morto e outro ferido levemente. 

O retorno de Israel à política de perseguir comandantes do Hamas individualmente - uma tática completamente abandonada nos anos recentes - pode refletir em um aumento das tensões na fronteira. A violência tem eclodido com frequência na fronteira desde o início dos protestos semanais dos palestinos em 30 de março. Egito, Catar e as Nações Unidas têm tentado negociar um acordo de cessar-fogo entre as partes. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.