Silvia Constanti/Valor/Agência O Globo
Silvia Constanti/Valor/Agência O Globo

Obama defende frutos da globalização para todos durante palestra em São Paulo

Ex-presidente americano disse que o capitalismo e a economia de mercado permitiram a saída de bilhões de pessoas em todo o mundo da pobreza

José Fucs, O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2017 | 13h17

Em palestra realizada na quinta-feira, 5, em São Paulo, o ex-presidente dos EUA Barack Obama falou sobre alguns dos principais temas em debate no mundo no momento, como a ascensão de líderes populistas e nacionalistas, o crescimento da oposição à globalização, o aquecimento global e a disseminação de ódio na internet. Michelle Obama não o acompanhou no evento.

Após presidência, Obama incentiva jovens líderes a serem perseverantes

Como principal estrela do Fórum Cidadão Global, promovido pelo banco Santander e pelo jornal Valor Econômico, Obama disse que o capitalismo e a economia de mercado permitiram a saída de bilhões de pessoas em todo o mundo da pobreza. Mas, segundo ele, a globalização afetou muitas comunidades nos países desenvolvidos que sofreram com a concorrência internacional, estimulando a percepção de que as famílias e seus filhos não conseguirão subir na escala social.

"A grande questão, que todos enfrentamos, no Brasil, nos EUA, na Ásia e na África, é conseguir fazer com que a mudança funcione para todos e não somente para alguns, no topo da pirâmide", afirmou Obama.

Ao falar para uma plateia de cerca de mil pessoas, formada principalmente por empresários, executivos e clientes do banco, que pagaram entre R$ 5.000 e R$ 7.500 pelo ingresso, Obama reconheceu a necessidade de os EUA manterem seu poderio militar, mas também defendeu o uso da diplomacia para a solução dos principais conflitos globais. "A Coreia do Norte representa um perigo real, mas não podemos resolver os problemas só com tanques e aviões."

À tarde, segundo a agenda oficial, o ex-presidente deverá participar de um encontro com 11 jovens líderes brasileiros, com idade entre 23 e 36 anos, entre eles José Frederico Lyra Neto e Tábata Amaral de Pontes, ex-alunos da Universidade Harvard e cofundadores do movimento "Acredito"; Cássia Moraes, do Fórum Brasileiro sobre Mudanças Climáticas; Eduardo Leite (PSDB), ex-prefeito de Pelotas; Paulo Rogério Nunes, diretor do Instituto Mídia Étnica; e Felipe Neves, presidente do projeto Constituição na Escola.

O encontro foi organizado pela Fundação Obama, cuja missão é apoiar a formação de novas lideranças nos EUA e em outros países. Na sexta-feira, ele deverá seguir para Buenos Aires, onde participará de um congresso sobre “economia verde”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.