Em Pequim, Bush volta a criticar governo chinês

Já em Pequim para a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, voltou a criticar o governo chinês pelo desrespeito aos direitos humanos. "Acreditamos firmemente que as sociedades que permitem a livre expressão do pensamento tendem a ser as mais prósperas e pacíficas", disse Bush, na capital chinesa, durante a inauguração da nova embaixada americana.Assim, Bush deu continuidade ao discurso que adotou desde o início de sua passagem pela Ásia. Quarta-feira, na Tailândia, já havia criticado a falta de liberdade religiosa na China, o que lhe valeu até um puxão de orelhas do governo chinês, que disse ao presidente americano para parar de se meter em assuntos de outros países.A presença de Bush na China abre um precedente: será o primeiro presidente americano a comparecer a uma Olimpíada em solo estrangeiro. Antes da cerimônia de abertura, ele se encontrará com o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, e membros da delegação americana para um discurso de incentivo. No fim de semana, Bush e a família devem assistir a alguns eventos esportivos. No domingo, porém, o clima pode ficar mais tenso. Está programada uma visita a uma igreja protestante em Pequim e, em seguida, uma conversa com jornalistas sobre liberdade religiosa.

AE-AP, Agencia Estado

08 de agosto de 2008 | 01h46

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaChinaBush

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.