Em Portugal, oposição pede eleições para 29 de maio

O líder do maior partido de oposição de Portugal, o Partido Social Democrata (PSD), Pedro Passos Coelho, disse hoje que a única maneira de superar a atual crise política no país é convocar as eleições o mais cedo possível. O PSD, de centro-direita, faz oposição ao Partido Socialista do primeiro-ministro José Sócrates, que nesta semana renunciou após o Parlamento rejeitar um plano de austeridade fiscal apresentado pelo governo. O PSD propôs a data de 29 de maio para as eleições.

ANDRÉ LACHINI, Agência Estado

25 de março de 2011 | 16h39

"No nosso entendimento, a única maneira de superar a atual crise política, provocada pela renúncia do primeiro-ministro, é antecipar a convocação das eleições legislativas", disse Passos Coelho aos repórteres, após uma reunião com o presidente português Aníbal Cavaco Silva, em que discutiu a possibilidade de construir uma nova coalizão de governo ou dissolver o Parlamento e anunciar novas eleições. Cavaco Silva também é do PSD. As eleições só podem ocorrer 55 dias após o anúncio da convocação feito pelo presidente.

"Nossa convicção é que estas eleições precisam ser muito rápidas", disse Passos Coelho, notando que o PSD sugeriu ao presidente que as eleições aconteçam em 29 de maio. Cavaco Silva realiza reuniões hoje com líderes dos maiores partidos políticos portugueses e poderá anunciar na próxima semana a data para as novas eleições. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
crisePortugalpolíticaeleiçõesmaio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.