Em protesto, homem se joga do Parlamento da Romênia

Romeno não corre risco de vida; ele se manifestava contra medidas de austeridade

Agência Estado

23 de dezembro de 2010 | 15h49

Romeno se atirou após voto de confiança ser dado ao Parlamento.

 

BUCARESTE - O governo da Romênia sobreviveu a uma moção de censura no Parlamento nesta quinta-feira, 23, em uma sessão marcada pelo fato de um homem ter se jogado do balcão da Câmara, aparentemente em protesto contra as medidas de austeridade da atual administração. Ele não corria risco de vida.

 

O homem foi identificado como Adrian Sobaru, engenheiro da emissora de televisão pública da Romênia. Ele pulou de uma altura de cerca de 7 metros, pouco após o primeiro-ministro Emil Boc cumprimentar os parlamentares. Ninguém mais ficou ferido.

 

Boc ficou chocado e correu até Sobaru, junto com outros legisladores, antes de a presidente do Parlamento, Mircea Geoana, adiar por alguns minutos a sessão. Boc classificou o incidente como "uma tragédia chocante" e pediu calma "nesses momentos difíceis".

 

No momento em que se atirou, Sobaru usava uma camisa com os dizeres: "Vocês mataram o futuro das nossas crianças, vocês nos venderam".

 

A sessão foi retomada sem a presença dos legisladores de oposição, que deixaram o local quando a moção deles para remarcar a sessão foi rejeitada. A oposição precisava de 236 votos para derrubar o governo, mas por fim não foi dado nenhum voto pelo fim da atual administração.

 

O governo da Romênia enfrenta um quadro de recessão e recentemente os salários do setor público foram cortados em 25%. Os impostos sobre vendas foram elevados de 19% para 24%. As medidas foram adotadas para manter o déficit do governo em 6,8% em 2010. Neste ano, a previsão é de uma recessão de 2% na economia, após uma contração de 7,1% em 2009. Os cortes enfureceram muitos romenos. As informações são da Associated Press.

 

Paramédicos atendem Sobaru após o incidente.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoRomêniaParlamentoEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.