Em protesto, tibetanos queimam peles valiosas

Milhares de tibetanos queimaram peles de animais raros nesta sexta-feira em resposta a um pedido do Dalai Lama, seu líder espiritual exilado, para não usarem mais produtos de animais em extinção.Mas o movimento, que deveria ser pacífico, ascendeu a ira das autoridades chinesas, que acabaram prendendo nove pessoas por "conspirar com o Dalai Lama". "Foi estimado que cerda de 600 milhões de yuan (US$75 milhões) foram queimados em pele, somente no leste do Tibet", disse Lobsang Choephal, um monge de 35 anos que divulgou o vídeo das manifestações.A gravação, divulgada para a imprensa nesta sexta-feira em Dharmsala, o quartel-general do governo tibetano no exílio, mostra milhares de tibetanos reunidos no monastério de Kirti, na região de Amdo, jogando roupas tibetanas tradicionais, feitas com peles de animal, em uma fogueira gigante. Os organizadores planejam usar a fogueira como clímax da campanha proposta pelo Lama, mas autoridades já proibiram os manifestos, de acordo com a TibetInfoNet, grupo localizado na Alemanha.O manifesto aconteceu no dia 11 de fevereiro, disse Choephal. Não há informações se mais manifestações aconteceram desde então.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.