Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Charles Platiau/REUTERS
Charles Platiau/REUTERS

Em reabertura, Paris tenta atrair turistas com museus e exposições

Escritório do Turismo estima que cidade receberá 5 milhões de visitantes na temporada de verão

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2021 | 12h30

PARIS - Conhecida por sua oferta cultural, a cidade de Paris, na França, ganha em 2021 novos museus e reinaugura espaços fechados, um respiro para o setor, que enfrentou 15 meses de restrições e uma de suas piores crises econômicas, e um aceno para os turistas que voltam a procurar a cidade. 

Em maio, o relaxamento das medidas de restrição impostas pela pandemia permitiu a abertura do Bourse de Commerce- Pinault Collection, inicialmente prevista para 2020. O museu, localizado no prédio histórico de 1767, exibe em dez galerias as obras adquiridas pelo bilionário François Pinault. 

No mesmo mês, a cidade celebrou a inauguração da Maison de Victor Hugo, fechada para reformas em 2019, após uma série de adiamentos em decorrência da pandemia. O Musée Carnavalet, fechado há quatro anos também por reformas, voltou a receber visitantes também em maio.

Em 12 de junho, o Hôtel de la Marine, antigo quartel-general com mais de 250 anos e cuja história é ligada à Revolução francesa, voltou a funcionar após um hiato de mais de 4 anos. 

E, no fim do ano, a cidade deve ganhar mais uma atração: a Maison de Serge Gainsbourg, um museu montado na casa em que o famoso cantor francês morou por mais de 20 anos e que permanece intacta desde a sua morte, em 1991. 

As reaberturas e inaugurações são um respiro para o setor, um dos mais atingidos pela pandemia do coronavírus. Em 2020, as restrições sanitárias levaram ao fechamento temporário de cerca de 90% dos museus em todo o mundo. O Louvre, fechado por 150 dias em 2020, registrou cerca de 2,7 milhões de visitantes no último ano  –  contra 9,6 milhões em 2019. Na Europa, o setor cultural, como um todo, perdeu aproximadamente 31% das suas receitas.

O boom cultural pode também ajudar a reativar o turismo em uma cidade que depende, em parte, dele. Segundo destino mais visitado do mundo, Paris recebeu 19 milhões de turistas internacionais em 2019, de acordo com a Business Insider. No ano passado, a cidade registrou 33,1 milhões de visitantes (nacionais e internacionais) a menos, um impacto negativo de US$ 15,5 bilhões nas receitas do setor. 

A reabertura gradual e o relaxamento de restrições para visitantes estrangeiros (desde o dia 9 de junho, turistas vacinados que venham de países “verdes”, onde a covid-19 está controlada, podem entrar no país sem apresentar um teste negativo para a doença) trazem projeções mais otimistas que as do ano passado. O Escritório de Turismo, no entanto, espera que Paris receba cinco milhões de turistas neste verão (hemisfério norte), metade do número registrado em 2019. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.