Em reduto da oposição, Evo fala em integração da Bolívia

Em reduto da oposição, Evo fala em integração da Bolívia

Presidente boliviano concorre à reeleição e promete transformar Santa Cruz em segunda maior região produtora de energia

Murillo Ferrari, enviado especial / Santa Cruz de la Sierra, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2014 | 12h04

SANTA CRUZ DE LA SIERRA - O presidente boliviano, Evo Morales, que concorre à reeleição no próximo domingo pelo partido Movimento ao Socialismo (MAS), afirmou na noite da terça-feira 7, em comício do Parque Cambódromo, na cidade de Santa Cruz de la Sierra - tradicional reduto da oposição - que os tempos de embate entre o governo e os Departamentos (Estados) orientais do país acabaram.

O presidente prometeu que transformará Santa Cruz na segunda maior região produtora de energia, atrás apenas de Tarija, outro ex-reduto da oposição. "Os tempos agora são outros. Estamos em um momento de integração e desenvolvimento da nossa Bolívia e Santa Cruz será o Departamento que representará essa integração", afirmou o presidente. "Na campanha de 2005, atiravam tomates e pedras contra nós. Isso nunca mais se repetirá."

Inicialmente, os membros do MAS em Santa Cruz previram receber 80 mil pessoas no comício - que parecia um show popular e contou com a participação de artistas locais e internacionais, como Bronco, do México, e Ráfaga, da Argentina. No entanto, durante as festividades anunciaram que mais de 500 mil estavam no evento. Autoridades locais, porém, estimaram um número menor, entre 200 mil e 300 mil pessoas.

"É inacreditável ver tantas pessoas concentradas aqui em Santa Cruz", afirmou Evo. "Creio que Santa Cruz 'vencerá' até mesmo La Paz", brincou o presidente, se referindo ao evento que fará na noite desta quarta-feira, 8, em El Alto, na capital boliviana, seu reduto eleitoral.

No palco, além do presidente e do vice, Álvaro García Linera, estavam os candidatos ao Senado e a Câmara boliviana pelo MAS.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.