Em retaliação, EUA expulsam diplomata venezuelana

Os EUA expulsaram a diplomata venezuelana Jeny Figueroa Frias, chefe de gabinete do embaixador da Venezuela em Washington, informou o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Sean McCormack.Segundo ele, a diplomata foi declarada "persona non grata" e tem 72 horas para deixar os EUA. Na última quinta-feira, o governo venezuelano expulsou o adido naval dos EUA em Caracas, acusado de passar informações confidenciais sobre as Forças Armadas venezuelanas para o Pentágono. "Eles começaram isso e nós fomos obrigados a responder", disse McCormack. As expulsões indicam um agravamento das tensões entre os dois países. Na quinta-feira à noite, o secretário da Defesa dos EUA, Donald Rumsfeld, havia comparado o presidente venezuelano, Hugo Chávez, a Adolf Hitler.Ao comentar a eleição de Evo Morales para a Presidência da Bolívia, durante entrevista coletiva no National Press Club de Washington, Rumsfeld disse que ela é preocupante. "Quero dizer, temos Chávez na Venezuela, com um monte de dinheiro. Ele foi eleito legalmente, do mesmo modo que Adolf Hitler foi eleito legalmente, e então consolidou o poder e agora está, é claro, trabalhando estreitamente com Fidel Castro, o sr. Morales e outros".Também na quinta-feira passada, o chefe dos serviços norte-americanos de inteligência, John Negroponte, disse durante depoimento no Congresso dos EUA, que a Venezuela "está buscando relações econômicas, diplomáticas e militares mais estreitas com o Irã e a Coréia do Norte".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.