EFE/MIGUEL GUTIÉRREZ
EFE/MIGUEL GUTIÉRREZ

Em reunião com ex-líder espanhol, opositor venezuelano exige que Maduro desista da Constituinte

Leopoldo López disse a José Luis Rodríguez Zapatero que conflito no país pode resultar em um processo fraudulento

O Estado de S.Paulo

25 Julho 2017 | 08h25

CARACAS - O líder opositor venezuelano Leopoldo López reafirmou na segunda-feira 24 ao ex-chefe de governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero a exigência de que o presidente Nicolás Maduro desista da Assembleia Constituinte, cujos membros serão eleitos no domingo.

Durante reunião em sua casa, onde cumpre prisão domiciliar, López "comunicou a Zapatero a exigência do povo: que seja retirada a Constituinte e se respeite a decisão" manifestada no plebiscito simbólico realizado pela oposição no dia 16 de julho, revelou o dirigente Freddy Guevara em sua conta no Twitter.

Coordenador do partido Voluntad Popular, fundado por López, Guevara acrescentou que "também se conversou sobre o grave conflito que pode resultar em uma Constituinte fraudulenta". "Oxalá no regime alguém tenha a sensatez para suspender a ANC, mas nós não vamos baixar a guarda: a rua é nossa força", declarou o vice-presidente do Parlamento, controlado pela oposição.

Guevara reafirmou em nome de López o chamado para a greve de 48 horas, a partir de quarta-feira, e a grande passeata de sexta-feira, em Caracas, convocadas pela coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) em sua ofensiva para barrar a Constituinte.

As ações da oposição intensificam ainda mais as manifestações contra o governo, que começaram há quatro meses e deixaram mais de 100 mortos, além de milhares de feridos e centenas de detidos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.