Em reunião, EUA e Nicarágua discutem segurança, drogas e Honduras

Daniel Ortega manteve uma conversa 'franca, respeitosa e amistosa' com o secretário de Estado adjunto americano para o Hemisfério Ocidental, Arturo Valenzuela

Efe, Efe

29 de outubro de 2010 | 04h06

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, e o secretário de Estado adjunto americano para o Hemisfério Ocidental, Arturo Valenzuela, discutiram na quinta-feira, 28, sobre temas de "alta sensibilidade" como narcotráfico, segurança e o quadro político de Honduras, durante uma reunião em Manágua.

Em sua primeira visita à Nicarágua como responsável americano para a América Latina, Valenzuela se reuniu nesta quinta com Ortega para, segundo o presidente nicaraguense, abordar pontos de vista sobre como aproximar "da melhor maneira" as posições de ambas as nações no combate ao narcotráfico e ao crime organizado.

Em declaração pública junto a Valenzuela divulgada pela imprensa oficial, Ortega indicou que manteve uma conversa "franca, respeitosa e amistosa" com o funcionário americano durante a reunião, que durou quase duas horas.

O líder expôs a Valenzuela a declaração da presidente da Costa Rica, Laura Chinchila, sobre a necessidade de estabelecer um mecanismo centro-americano de coordenação sobre o narcotráfico.

Valenzuela, por sua vez, disse ter falado com Ortega sobre a cooperação entre os dois países sobre as relações comerciais entre EUA e Nicarágua e sobre segurança.

"A nossa visão é a de ter um novo tratamento com os países da América, onde todos somos países irmãos e vemos como avançamos na solução dos problemas de forma respeitosa, pactuada com diálogo fluído e franco", disse Valenzuela, que chegou à Nicarágua na noite de quarta-feira.

Valenzuela disse que também discutiu com Ortega brevemente sobre Honduras e lembrou que os Estados Unidos acompanharam o consenso de todos os países-membros da Organização dos Estados Americanos (OEA) em condenar o golpe de Estado nessa nação contra o então presidente Manuel Zelaya em junho do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.