AP Photo/Martin Mejia
AP Photo/Martin Mejia

Em reunião do Grupo de Lima, EUA anunciam novas sanções ao regime de Nicolás Maduro

Vice americano participou de reunião do Grupo de Lima em Bogotá, Colômbia, que contou com a presença do presidente interino autoproclamado venezuelano Juan Guaidó, a quem disse que os EUA dão '100%' de apoio

Beatriz Bulla, Correspondente/Washington, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2019 | 14h51

BOGOTÁ - O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, anunciou a imposição de novas sanções ao regime de Nicolás Maduro e pediu que os países do Grupo de Lima adotem medidas financeiras de cerco diplomático ao venezuelano. Em discurso em Bogotá, na Colômbia, Pence voltou a dizer que “todas as opções estão sobre a mesa”.

A frase tem sido usada pelo presidente americano, Donald Trump, para sinalizar que uma ação militar não é descartada, mas no discurso desta segunda-feira Pence indica que a pressão por uma transição de governo na Venezuela seguirá por meio de medidas financeiras e isolamento diplomático.

O Departamento de Tesouro americano anunciou nesta segunda-feira sanções a quatro governadores aliados de Maduro e, em Bogotá, Pence anunciou que os EUA destinarão US$ 56 milhões para parceiros da América do Sul que estão recebendo migrantes venezuelanos. 

Os EUA pedem que os países do Grupo de Lima congelem ativos da PDVSA, transfiram eventuais ativos de Maduro para Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino pelos americanos e pelo Grupo de Lima. Pence também pediu que os países restrinjam vistos do círculo próximo a Maduro. “São importantes passos que os membros do Grupo de Lima devem apoiar hoje e seus países devem implementar amanhã”, afirmou Pence. “É hora de fazer mais”, disse.

Ao cobrar novas medidas dos países do Grupo de Lima, afirmou que essa “é a hora” para a transição na Venezuela. “Apesar da brutalidade que o mundo viu nesse fim de semana, um novo dia está chegando na América Latina. O socialismo está morrendo e a liberdade e democracia estão renascendo sob nossos olhos”, disse o americano.

Pence enviou recado de apoio de Donald Trump a Guaidó. “O presidente Trump pediu que eu passasse uma mensagem simples: estamos com vocês. Estamos 100% com vocês e continuaremos com vocês até que a democracia e liberdade retornem. Como diz Trump, não há passo atrás”, afirmou o americano.

Para Entender

Venezuelanos vão às ruas contra o governo de Nicolás Maduro; entenda os motivos da manifestação antichavista

Protestos foram convocados pela oposição e receberam apoio dos Estados Unidos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.