REUTERS/Josephus Olu-Mamma
REUTERS/Josephus Olu-Mamma

Em Serra Leoa, habitantes famintos brigam por aves podres

Carregamento de frangos estragados provenientes do Brasil foi enterrado em lixão por ordem das autoridades sanitárias do país

O Estado de S. Paulo

24 de julho de 2016 | 20h38

FREETOWN - Um carregamento de frangos estragados proveniente do Brasil, que as autoridades de Serra Leoa ordenaram que fosse enterrado, causou confusão no fim de semana nesse país pobre da África, quando a polícia tentou impedir que uma multidão desenterrasse as aves para consumi-las.

O carregamento de aves, criadas pela brasileira Frangosul, chegou no dia 12 a Serra Leoa. As autoridades sanitárias declararam que os frangos não tinham condições de serem consumidos e ordenaram que fossem enterrados em um lixão. Mas milhares de habitantes da capital, Freetown, tentaram desenterrar os restos das aves, mesmo cobertos de lixo. A polícia teve de usar gás lacrimogêneo para dispersar a multidão. Quarenta pessoas foram presas, mas dezenas fugiram levando a carne podre.

“Vamos lavar o frango e cozinha para poder comer”, declarou, sorridente, Aminata Kamara, mãe de três filhos, que conseguiu resgatar dois sacos de frango. Victor Lansana Koroma, diretor de uma ONG, pediu a prisão do importador do produto. Serra Leoa é um dos países mais pobres do mundo, com 70% da população vivendo abaixo do nível de pobreza. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Serra LeoaFome

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.