AP Photo/Esteban Felix
AP Photo/Esteban Felix

Em último dia no Chile, Bolsonaro se reúne com empresários e Piñera

Presidentes da Câmara e do Senado do Chile se recusaram a comparecer ao encontro por desaprovarem declarações de Bolsonaro

Daniel Weterman e Ricardo Galhardo, Enviados especiais para O Estado de S. Paulo

23 de março de 2019 | 09h13

SANTIAGO, CHILE  - No terceiro e último dia de sua primeira viagem oficial ao Chile, o presidente Jair Bolsonaro se reúne, neste sábado, 23, com empresários chilenos e com o presidente Sebastián Piñera.

A primeira agenda, às 9h, é um café da manhã oferecido pela Sociedade de Fomento Fabril do Chile no Hotel Intercontinental, no bairro Las Condes, onde Bolsonaro e sua comitiva estão hospedados.

Na sequência, às 11h30, o presidente brasileiro participa de uma cerimônia de aposição floral no Monumento ao Libertador Bernado O'Higgins. Logo depois, chega ao Palácio de La Moneda, sede do governo chileno, para uma agenda bilateral. Os dois presidentes devem fazer uma declaração à imprensa às 12h50, para depois seguirem a um almoço oferecido pelo chileno a Bolsonaro.

Para esse almoço, agendado às 13h30, os presidentes da Câmara e do Senado do Chile se recusaram a comparecer por desaprovar declarações de Bolsonaro. Questionado sobre as recusas, o brasileiro disse que o governo chileno, responsável pelos convites, sabia quem estava chamando para o encontro.

Protesos contra Bolsonaro foram chamados para os arredores do La Moneda durante a visita do brasileiro. Na sexta-feira, 22, ele minimizou as manifestações e também se defendeu das críticas, afirmando que não é racista, xenófobo, homofóbico e misógino porque foi eleito também por minorias.

Bolsonaro deve embarcar de volta a Brasília às 15h30. 

Tudo o que sabemos sobre:
Chile [América do Sul]Jair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.