EFE/PRENSA LEOPOLDO LÓPEZ
EFE/PRENSA LEOPOLDO LÓPEZ

Em vídeo, López pede que venezuelanos não desistam da luta

Mensagem foi gravada no dia 17 e divulgada nesta terça-feira em sua conta no Twitter depois que líder opositor foi enviado novamente para uma prisão militar; ele também revelou que sua mulher, Lilian Tintoti, está grávida do 3º filho do casal

O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2017 | 15h29

CARACAS - O líder opositor venezuelano Leopoldo López, enviado novamente à uma prisão comum nesta terça-feira, 1º, pediu que os cidadãos de seus país não enfraqueçam na luta "por uma Venezuela melhor". 

"Vale a pena lutar pela Venezuela. Não enfraqueçamos em nossa luta, não nos rendamos nunca, não nos cansemos de querer uma Venezuela melhor", disse o político em mensagem por vídeo divulgada em sua conta no Twitter (veja abaixo) nesta terça, mas gravado no dia 17 de julho, quando ele estava em prisão domiciliar.

"Se (você) está vendo este vídeo, é porque vieram e me mandaram para a prisão ilegalmente e injustamente de novo", disse. Na mensagem, em meio aos apelos para que os opositores ao governo de Nicolás Maduro continuem mobilizados, o político também confirmou que sua mulher, Lilian Tintori, está grávida do terceiro filho do casal.

"Aqui está outra razão a mais para lutar pela Venezuela", disse López acariciando a barriga de sua mulher. "Esta que foi uma das melhores notícias que eu recebi, ou a melhor notícia que eu recebi nestes últimos três anos e meio."

A notícia da gravidez de Lilian, no entanto, tinha sido antecipada na manhã desta terça por Mitzi Capriles, mulher do político opositor Antonio Ledezma - que, assim como López, estava em prisão domiciliar e foi enviado novamente para a prisão militar de Ramo Verde durante a madrugada.

"Lilian está grávida. Está esperando um bebê. Já está aparentemente de 16 semanas, ou está quase chegando aos três meses", disse Mitzi em entrevista concedida à emissora CNN, em Madri.

López foi transferido em 8 de julho para a prisão domiciliar por motivos de saúde depois de cumprir três anos e cinco meses de uma pena de quase 14 anos por incitar a violência em protestos contra o presidente Nicolás Maduro que deixaram 43 mortos em 2014.

O Supremo Tribunal de Justiça (TSJ) revogou, no entanto, o benefício de López e Ledezma alegando que os dois planejavam fugir do país e tinham violado os termos da prisão domiciliar ao fazerem declarações públicas contra a Assembleia Constituinte convocada por Maduro.

Lilian, uma ex-apresentadora de TV de 39 anos, está desde o dia 25 de julho nos Estados Unidos, para onde viajou com seus dois filhos, Manuela, de 8 anos, e Leopoldo Santiago, de 4 anos, segundo fontes do partido de López.

"Onde o bebê vai nascer? Qual é seu sexo? Eu não sei absolutamente nada disse e acredito que a nossa querida Lilian é quem pode dar essas informações", completou Mitzi na entrevista à CNN.

Os rumores sobre a gravidez de opositora começaram a circular na país desde que López, com quem ela se casou em 2007, foi colocado em prisão domiciliar.

Apaixonada por esportes extremos, ela é formada em educação infantil e também trabalhou como locutora em várias rádios. Durante um período, ela também apresentou um 'reality show' de sobrevivência.

Sua figura midiática cresceu com a prisão de López em fevereiro de 2014 ao se converter na mais fervorosa defensora do político opositor e liderar uma campanha para denunciar o caso e o de outros "tantos presos políticos" no país. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.