Em visita à Austrália, Dalai Lama diz ser um 'erro' não proteger o planeta

'Não importa quão poderosa é uma nação, é parte do planeta', afirmou o líder espiritual. Ele ressaltou ainda que todos sofrerão com os desastres do aquecimento global e a mudança climática

Efe,

14 de junho de 2011 | 04h26

SYDNEY - O Dalai Lama assegurou nesta terça-feira, 14, na Austrália que alguns países cometem "um erro" quando antepõem seus interesses à preservação do planeta, e pediu que as mineradoras assumam maior responsabilidade na conservação da natureza.

 

"Não importa quão poderosa é uma nação, é parte do planeta", afirmou Tenzin Gyatso ao visitar o Parlamento australiano.

 

Segundo a rádio ABC, o líder espiritual tibetano ressaltou que é preciso cuidar da Terra porque "é nosso único lar" e todos sofrerão com os "desastres súbitos pelo aquecimento global e a mudança climática".

 

Neste sentido, precisou que as mineradoras também têm responsabilidade.

A visita do Dalai Lama à Austrália ocorre em meio à polêmica gerada pela recusa da primeira-ministra australiana, Julia Gillard, de reunir-se com ele.

 

Gillard manifestou que dada a frequência das viagens do líder tibetano ao país, o governo australiano considera apropriado que só seja realizado um encontro privado com o ministro da Educação, Peter Garrett.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.