AFP PHOTO / ALEXANDER NEMENOV
AFP PHOTO / ALEXANDER NEMENOV

Em visita à Rússia, Erdogan agradece apoio de Putin durante tentativa frustrada de golpe militar

Para presidente russo, reunião com líder turco servirá para superar as tensões entre Moscou e Ancara

O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2016 | 11h14

MOSCOU - O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, agradeceu pessoalmente nesta terça-feira, 9, ao chefe de Estado russo Vladimir Putin o apoio incondicional oferecido nos primeiros minutos da tentativa frustrada de golpe em seu país, durante o início da cúpula bilateral realizada em São Petersburgo.

"Sua chamada (telefônica) imediatamente depois da tentativa do golpe nos alegrou muito, a mim, a meus colegas e a nosso povo", disse Erdogan no início da reunião, que foi retransmitida ao vivo pela televisão russa.

Putin respondeu a seu colega, que faz sua primeira visita ao exterior desde a tentativa de golpe, e disse que a Rússia "sempre se manifesta categoricamente contra qualquer tentativa de agir inconstitucionalmente". "Neste sentido, quero expressar minha esperança que sob seu governo, o povo turco resolverá este problema e a ordem constitucional será restituída", acrescentou Putin.

O presidente russo manifestou sua confiança de que a reunião desta terça-feira servirá para superar as tensões entre Moscou e Ancara. "Sua visita de hoje, apesar da complexa situação política interna na Turquia, mostra que todos nós queremos o reatamento de nosso diálogo, o restabelecimento das relações em prol dos interesses dos povos da Turquia e da Rússia", disse o chefe do Kremlin a Erdogan.

Putin indicou que na cúpula será abordado o restabelecimento dos vínculos comerciais entre os dois países e assuntos relativos à cooperação na luta antiterrorista. "Acredito que com os passos que daremos hoje começaremos um processo mais amplo (de cooperação)", respondeu o presidente turco.

A cúpula entre Rússia e Turquia foi estabelecida depois que Erdogan pediu perdão pela derrubada do avião de combate russo na fronteira com a Síria no fim de junho, um incidente no qual um dos pilotos foi metralhado quando descia em um paraquedas. As desculpas turcas permitiram iniciar o processo de normalização das relações entre os dois países, que estavam praticamente congeladas desde novembro de 2015.

Putin e Erdogan não devem assinar acordos, mas podem estipular o roteiro da suspensão gradual das sanções, em particular do embargo aos produtos agrícolas turcos, que causou muitos danos à economia do país.

A Turquia está mais do que interessada no reatamento das relações, já que o turismo russo é uma das principais fontes de renda do setor. Em 2015, cerca de 3,6 milhões de turistas russos visitaram a o território turco, enquanto menos de 100 mil viajaram ao país nos primeiros quatro meses deste ano. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.