Em visita ao Oriente Médio, Rice se diz preocupada com situação dos palestinos

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, afirmou que o governo americano está "muito preocupado" com a difícil situação dos palestinos e prometeu "redobrar esforços" pela melhoria das condições de vida nos territórios da Cisjordânia e da Faixa de Gaza.Rice, num giro pelo Oriente Médio buscando apoiar líderes moderados árabes para dar nova vida ao estagnado processo de paz na região, fez as declarações nesta quarta-feira, depois de uma reunião com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, em Ramallah, na Cisjordânia.Antes, Rice havia pedido aos militantes islâmicos que cooperassem com Abbas, porque o governo liderado pelo Hamas "não pode" administrar na região. Ela tem procurado fortalecer Abbas em sua disputa de poder com o Hamas.Em resposta, o primeiro-ministro da ANP, Ismail Haniye, acusou os EUA de estarem tentando "rearranjar" a política no Oriente Médio de acordo com seus próprios interesses."Rice importa-se somente em rearranjar a região e o cenário político palestino de forma a servir aos interesses dos Estados Unidos e de Israel", denunciou Haniye.Novo gabinete de governoHoras antes, Abbas havia anunciado o colapso das negociações entre sua facção política moderada, a Fatah, e o Hamas para a formação de um governo de unidade nacional nos territórios palestinos.Sem entrar em detalhes, Abbas também anunciou que um novo gabinete de governo deverá ser formado com o objetivo de conter uma onda de violência interna que provocou a morte de pelo menos dez pessoas nos últimos três dias.O Hamas, vencedor das eleições gerais de janeiro, recusa-se a moderar sua ideologia anti-Israel, apesar de um boicote internacional a seu governo.Antes de reunir-se com Abbas em Ramallah, Rice encontrou-se com políticos palestinos moderados em Jerusalém, inclusive membros da Fatah.Um dos participantes, Kadoura Fares, disse que planejava falar sobre a necessidade de fortalecimento da Fatah em nome da busca pela paz entre palestinos e israelenses.Mobilização internacionalA viagem de Rice ocorre ao mesmo tempo em que 135 líderes mundiais pediam "novas idéias e a injeção de uma nova vontade política" para solucionar o conflito entre árabes e israelenses.A declaração elaborada pelo Grupo Internacional de Crises, uma organização sem fins lucrativos baseada em Bruxelas, foi assinada por diversas personalidade do mundo político, entre elas o ex-presidente americano Jimmy Carter e o ex-primeiro-ministro britânico John Major."Enquanto perdurar esse conflito, ele gerará instabilidade e violência na região e em outras partes do mundo", diz o texto. "Todos têm perdido nesse conflito, exceto extremistas de todo o mundo que prosperam no ódio que ele continua a provocar".A solução do conflito tem de contemplar "a segurança e o pleno reconhecimento de Israel com fronteiras internacionalmente reconhecidas, o fim da ocupação para o povo palestino num Estado independente e viável, e o retorno de território perdido para a Síria".Antes de seguir para os territórios palestinos, Rice se encontrou no Cairo com o presidente egípcio, Hosni Mubarak. Na terça-feira, ela havia se reunido com autoridades na Arábia Saudita. Dos dois mais poderosos aliados no mundo árabe, a secretária americana ouviu o mesmo sermão: a volatilidade da região existe em grande parte devido ao longo conflito de Israel com os palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.