Em visita-surpresa ao Afeganistão, Obama pressiona Karzai

Em visita-surpresa ao Afeganistão, Obama pressiona Karzai

Presidente americano usa a viagem para levantar o moral dos soldados da coalizão internacional no país

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2010 | 00h00

CORRESPONDENTE / NOVA YORK

O presidente dos EUA, Barack Obama, realizou ontem uma viagem-surpresa ao Afeganistão para pressionar o líder afegão, Hamid Karzai, a combater a corrupção. Em sua primeira visita ao país depois de eleito, Obama aproveitou para se reunir com as forças americanas que lutam contra o Taleban e militantes da Al-Qaeda.

"Eu quero enviar um recado forte de que a parceria entre os EUA e o Afeganistão continuará. Temos visto progresso na campanha militar contra o extremismo na região. Agora, também queremos continuar a fazer progresso em áreas como a boa governança, o respeito às leis e os esforços contra a corrupção. Todos esses fatores contribuirão para tornar o Afeganistão mais próspero, mais seguro e independente", disse Obama depois de reunir-se com Karzai.

Pressão. O líder afegão, reeleito em meio a acusações de fraude no ano passado, afirmou que "a parceria continuará no futuro para um Afeganistão estável, forte e seguro, que pode se sustentar independentemente e avançar em direção ao futuro".

Autoridades americanas que acompanharam Obama acrescentaram que o presidente pressionou Karzai a combater com mais dureza a corrupção em seu governo.

Na visita, Obama aproveitou para agradecer aos militares americanos e de outros países da coalizão internacional. "Eles realizam enormes sacrifícios distantes de suas casas e quero garantir que eles saibam do orgulho que tenho deles", afirmou o presidente, que, durante seu governo, triplicou para cerca de 100 mil o total de militares americanos baseados no Afeganistão.

A viagem do Obama foi organizada de forma secreta. Oficialmente, a Casa Branca havia informado que ele passaria o fim de semana em Camp David com a família. Na noite de sábado, horário de Washington, o presidente embarcou no Air Force One em direção à base americana em Bagram, no Afeganistão.

Quando chegou, depois de 13 horas de voo e mais o fuso horário, já era noite de domingo no país. Ele embarcou em um helicóptero e se dirigiu ao palácio presidencial para se reunir com Karzai. Seu retorno para os EUA está previsto para a madrugada de segunda. Antes de ser eleito, durante a campanha presidencial, Obama já havia visitado o Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.