Em voo promocional, jato russo cai na Indonésia

Novo modelo Sukhoi desaparece de radar com 50 a bordo; Força Aérea acredita ter localizado destroços

JACARTA, O Estado de S.Paulo

10 Maio 2012 | 03h00

Um novo modelo de avião Sukhoi, com 50 pessoas a bordo, entre elas empresários, diplomatas e jornalistas, desapareceu durante um voo de demonstração na Indonésia. A Força Aérea informou hoje (ontem à noite no Brasil) que helicópteros haviam localizado algo que parecia ser restos de um avião perto de um vulcão na ilha indonésia de Java.

A agência de busca e resgate da Indonésia disse que o contato de rádio com o avião foi perdido aproximadamente às 6 horas, depois que a tripulação pediu autorização para baixar de 10 mil pés para 6 mil pés perto do Monte Salak, um vulcão adormecido de 2.211 metros acima do nível do mar. Não foi dada nenhuma explicação sobre a repentina mudança do nível de altitude. Apesar de estar chovendo no momento, a chuva não era forte.

O avião Sukhoi Superjet 100 - o primeiro jato de passageiros construído pela Rússia desde a queda da União Soviética - tinha decolado do Aeroporto Halim Perdanakusuma de Jacarta às 5h21. Equipes de busca, com o apoio de helicópteros, foram enviadas ao local onde o avião desapareceu do radar, na região de Bogor. Os acidentes aéreos são frequentes no arquipélago do Sudeste Asiático, formado por 17 mil ilhas.

"Vi um avião grande passar baixo sobre minha casa", disse uma aldeã que vive perto da cordilheira. "Estava virando um pouco de lado com o motor rugindo. Parecia que se dirigia para Salak, mas não escutei nenhuma explosão ou algo do gênero", acrescentou.

Segundo o chefe da agência de busca e resgate, marechal Daryatmo, estavam a bordo 8 tripulantes e 42 convidados - entre eles vários diplomatas da Embaixada da Rússia em Jacarta, potenciais compradores que trabalham para as principais companhias aéreas da Indonésia e jornalistas que escreveriam sobre o novo jato russo. Este era o segundo voo de demonstração do dia.

A Sukhoi, que já tem pedidos de compra de 170 aviões, planeja construir mil Superjets 100, principalmente para mercados estrangeiros. A empresa pretendia vender 42 aviões à Indonésia, que quer aumentar rapidamente seu mercado de aviação para suprir a demanda de uma crescente classe média no quarto país mais povoado do mundo.

O Sukhoi Superjet 100, com uma capacidade entre 68 e 103 passageiros, foi desenvolvido em sociedade com a Boeing e a italiana Finmeccanica. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.