Embaixada dos EUA diz que Farc desistiram de ataques

A Embaixada dos Estados Unidos na Colômbia não prorrogou um alerta feito a seus cidadãos sobre atentados em Bogotá porque a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desistiu dos planos terroristas, disseram neste domingo autoridades locais.O prefeito da cidade, Luis Eduardo Garzón, afirmou à rede Caracol Radio que o embaixador americano William Wood lhe disse que a "mensagem de segurança" que tinha emitido em 22 de setembro esteve vigente até o último dia 1º.Na primeira data, a representação americana divulgou em seu site um alerta na qual proibia seus funcionários de visitar cinco shoppings e a chamada "zona rosa" de diversão noturna, todos no norte da capital."Esta restrição será efetiva até 1º de outubro de 2006 ou até novo aviso", segundo a mensagem, que não foi retirada da página da embaixada na internet.No alerta, a delegação americana advertiu que tinha recebido relatórios "sobre uma ameaça das Farc de empregar elementos explosivos para serem detonados" nas áreas mencionadas.Segundo Garzón, o embaixador Wood lhe explicou que o alerta não foi ampliado devido à desistência das Farc de "sua intenção de cometer atos terroristas" no norte da capital colombiana.No entanto, o prefeito da cidade disse que está "confuso" após o ataque da quinta-feira passada contra uma concentração de instalações militares na mesma área da cidade.O atentado, que deixou 23 feridos, foi cometido com uma caminhonete-bomba que um suposto militar da Marinha Nacional ingressou no estacionamento ao ar livre da Universidade Militar Nova Granada.Em uma visita na sexta-feira ao lugar, o presidente Álvaro Uribe atribuiu a ação terrorista às Farc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.