Embaixada dos EUA em Israel em "alerta máximo"

Os guardas de segurança da Embaixada americana em Tel Aviv permaneciam hoje em alerta máximo, um dia depois que soldados dominaram um suposto atacante suicida que corria de um restaurante em direção ao prédio da representação diplomática, informou um funcionário que pediu anonimato. Segundo o porta-voz da Embaixada, Paul Patin, no entanto, a segurança é sempre alta no local e o incidente de ontem não mudou a rotina dos americanos. Não houve registro de feridos e a polícia disse que não tinha informações de outras pessoas envolvidas no incidente. Também hoje, um palestino do campo de refugiados de Khan Yunis, na Faixa de Gaza, morreu em conseqüência de um tiro na cabeça disparado ontem por tropas israelenses. O Exército informou que o homem, de 21 anos, estava com um grupo de palestinos que cavavam em uma área proibida, onde posteriormente haviam sido plantadas bombas. Os soldados dispararam nos homens, que fugiram, mas que retornaram mais tarde. No segundo disparo, o homem, cuja família trabalha em um sítio local, foi morto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.