Embaixada dos EUA em Jacarta nega que tenha sido alvo de atentado

Uma granada de mão explodiu hoje dentro de um carro em Jacarta, numa área próxima a um imóvel pertencente à Embaixada dos Estados Unidos, informou a polícia indonésia. Um dos passageiros do veículo morreu. A representação diplomática, por sua vez, negou que alguma de suas propriedades tenha sido alvo de ataque.A explosão ocorreu na madrugada de hoje, dentro de um automóvel no qual viajavam quatro pessoas, quando este circulava por um bairro do centro da capital indonésia. Segundo autoridades e testemunhas, uma pessoa morreu, o condutor do carro foi detido e dois passageiros fugiram. O chefe da polícia nacional da Indonésia, Da´i Bachtiar, havia dito inicialmente que os homens que viajavam no automóvel tinham a intenção de atacar a embaixada. Mais tarde, no entanto, em uma entrevista coletiva, Bachtiar afirmou ter se tratado "de uma coincidência" o fato de a granada ter explodido em uma área próxima ao prédio da representação diplomática americana.Quando repórteres lhe perguntaram se havia ocorrido um ataque contra os interesses dos EUA, Bachtiar respondeu: "Não sei. Estamos investigando". O funcionário disse ainda que o suspeito detido forneceu informações que conduziram a duas casas na cidade de Bogor, a 60 quilômetros ao sul de Jacarta, onde foram encontrados explosivos e armas.Um comunicado da embaixada afirma que "não há indicações de que propriedades da embaixada dos Estados Unidos ou interesses americanos tenham sido atacados". A embaixada, que permaneceu aberta hoje, confirmou que possui várias propriedades na área onde ocorreu a explosão.Entre 10 e 16 deste mês, a embaixada dos EUA em Jacarta permaneceu fechada devido ao que o embaixador Ralph Boyce classificou de "uma ameaça específica e crível", supostamente vinculada à rede terrorista Al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.