BERTRAND GUAY / AFP
BERTRAND GUAY / AFP

Embaixada dos EUA em Paris escondia estação com escutas, diz jornal

'Libération' afirma que o terraço do prédio, que fica perto da sede do governo francês, continha uma instalação feita entre 2004 e 2005

O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2015 | 09h29

PARIS - O terraço da embaixada dos Estados Unidos em Paris, um edifício situado a apenas 250 metros do Palácio do Eliseu, sede da presidência francesa, escondia uma estação de telecomunicações dedicada a escutas da Agência Nacional de Segurança americana (NSA), afirmou nesta quarta-feira, 24, o jornal francês Libération.

O jornal, um dos meios de comunicação franceses que revelaram a suposta espionagem americana aos três últimos presidentes da França entre 2006 e 2012, afirmou que a instalação foi feita na embaixada entre 2004 e 2005.

"Está coberta por uma lona especial que permite a passagem de sinais eletromagnéticos e está pintada com uma técnica de ilusão de óptica a fim de esconder o que há ali de olhares curiosos", acrescenta a publicação, ressaltando que o último andar da delegação diplomática americana pode ser visto a partir da Praça da Concórdia.

A Special Collection Service (SCS) é uma unidade comum que a NSA e os serviços de inteligência da CIA compartilham e a mudança no edifício pode ser observada em fotografias feitas via satélite.

A informação foi revelada inicialmente em 2013 pelo blog Zone d'intérêt, mesmo ano em que a revista alemã Der Spiegel publicou que a NSA dispunha de instalações similares em 80 embaixadas dos Estados Unidos.

Ao saber que os EUA podem ter espionado os três últimos presidentes do país, o atual chefe de Estado francês, François Hollande, realizou uma reunião extraordinária para esta manhã e classificou de "inaceitáveis" as escutas, garantindo que não tolerará "nenhum ato que questione sua segurança e a proteção de seus interesses". A embaixadora americana em Paris, Jane D. Hartley, foi convocada para dar explicações do caso. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaEUAespionagemNSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.