Embaixada dos EUA ordena a cidadãos americanos que deixem o Nepal

O Departamento de Estado americano ordenou nesta segunda-feira ao pessoal de sua embaixada e a suas famílias que deixem o Nepal, pedindo aos turistas que façam o mesmo, devido à precária situação de segurança do país, informou o órgão do governo. Segundo uma nota à imprensa divulgada nesta segunda pela Embaixada dos Estados Unidos no Nepal, esta decisão foi tomada devido à preocupação com a segurança dos funcionários do governo americano e de suas famílias. "O embaixador James Moriarty, que informou ao seu pessoal sobre a recomendação, também pede que todos os cidadãos americanos no Nepal considerem a hipótese de deixar o país neste momento devido às condições incertas de segurança", diz a nota. No último dia 12, o Departamento de Estado autorizou a saída voluntária do pessoal da embaixada que ocupa postos não-emergenciais, mas, com a piora da situação e a continuidade dos protestos contra o regime monárquico, nesta segunda-feira a recomendação se transformou em ordem. Esta ordem é voltada para os funcionários da embaixada e da seção consular, assim como aos do Centro Americano e da Agência Americana para a Cooperação Internacional (USAID, em inglês). A seção consular e a Biblioteca do Centro Americano permanecem fechadas desde o dia 12 e só serão abertas novamente quando houver uma melhora nas condições de segurança do país. Pelo quinto dia consecutivo foi estabelecido o toque de recolher em Katmandu, onde a população continua saindo às ruas para protestar contra o rei Gyanendra, que há mais de um ano governa o país com mão de ferro através de um Gabinete designado por ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.