Embaixada no Brasil ignora suspeita de fraude

A Embaixada da Itália no Brasil afirmou ontem não ter sido informada da abertura de investigação sobre suposta fraude na votação dos italianos residentes na América Latina. "Não temos informação sobre isso. Posso apenas afirmar que no Brasil não há nenhum indício de fraude", disse o primeiro-secretário Pietro Sferra Carini. Ele ressaltou ainda que, assim como na votação de 2006, os votos dos eleitores no Brasil foram tratados com o "máximo de cautela". O primeiro-secretário explicou que as cédulas que chegaram pelo correio nos consulados e embaixada foram guardadas em uma área protegida, à qual o acesso era restrito. O candidato a senador pelo Partido Democrático (PD) na América Latina Edoardo Pollastri lamentou a notícia e defendeu a mudança do sistema de votação no exterior. "Os italianos deveriam votar pessoalmente nos consulados", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.