Embaixadas de 11 países alertam sobre possível atentado na Tailândia

Medida foi tomada após detenção de um suposto terrorista do grupo xiita libanês Hisbolá

Efe,

15 de janeiro de 2012 | 08h41

 As embaixadas de 11 países, incluindo Estados Unidos, Canadá, Israel e Reino Unido, mantêm neste domingo, 15, os alertas perante o perigo de um atentado em Bangcoc após a detenção de um suposto terrorista do grupo xiita libanês Hisbolá.

No entanto, as autoridades tailandesas asseguram que a situação está sob controle e que o suspeito confessou que a operação para fazer um atentado na Tailândia foi suspensa quando soube que a Polícia conhecia seus planos.

O porta-voz da Polícia tailandesa, Piya Uthayo, disse que pelo menos dois libaneses do Hisbolá tinham a intenção de fazer atentado em áreas frequentadas por israelenses e americanos em Bangcoc, por isso que elevaram a segurança.

"Segundo os relatórios de segurança, os suspeitos tinham intenção de usar explosivos, por isso que pedimos ao público para estar atento nas áreas de risco, sobretudo nos lugares frequentados por estrangeiros, e suspeitar de veículos que tenham estado longo tempo estacionados", disse Piya.

Atris Hussein, de 48 anos e sueco de origem líbia segundo a imprensa local, foi detido na quinta-feira passada à noite no aeroporto de Bangcoc quando tentava sair do país após abortar os planos do atentado.

Um segundo suspeito está sendo procurado pelos agentes tailandeses, que elevaram as medidas de segurança nas áreas turísticas frequentadas por americanos e israelenses em Bangcoc e em Pattaya, situada a cerca de cem quilômetros ao sudeste da capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.